segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Gustavo Lima sobe ao pódio e fecha temporada 2013 da Fórmula 4 com chave de ouro em Donington Park.


A temporada inaugural da Fórmula 4 Inglesa, a mais nova categoria de base do automobilismo mundial, se encerrou neste domingo (29) com a disputa das duas corridas finais da oitava rodada tripla do ano, realizada no mítico circuito de Donington Park. Para Gustavo Lima, o fim de setembro foi mais do que especial por ter marcado a conquista do seu primeiro pódio no certame. Com uma pilotagem bastante segura e sem se envolver em problemas durante todo o fim de semana, o brasiliense da HHC Motorsport sacramentou sua evolução ao longo de 2013 e, na prova realizada nesta manhã, cruzou a linha de chegada em terceiro, comemorando muito o resultado.

A conquista de Gustavo em Donington Park veio ‘no peito e na raça’. Graças à regra do grid invertido, o brasiliense de 17 anos, que terminou a corrida de sábado em sétimo, obteve o direito de fechar a primeira fila na manhã deste domingo. E Lima largou bem, sustentou sua boa colocação e partiu para o ataque para cima do pole Struan Moore. Entretanto, o britânico Charlie Robertson, que abriu a corrida em quinto, veio num ritmo impressionante e conseguiu ultrapassar tanto Gustavo quanto o seu compatriota, seguindo para uma bela vitória.


No fim da corrida, o jovem brasiliense ainda sofreu com a forte pressão de James Greenway, mas resistiu bravamente, segurou o ímpeto do adversário e conseguiu comemorar seu primeiro pódio na Fórmula 4 depois de 12 voltas de uma dura batalha em Donington Park. O resultado, obviamente, foi bastante comemorado por Gustavo, seus familiares e por todos os membros da equipe nos boxes do circuito britânico.

Cerca de quatro horas depois de subir ao pódio, Lima retornou à pista para fechar sua participação na temporada. Segundo o regulamento, a corrida 3 da Fórmula 4 tem o grid definido pela melhor volta de cada piloto no combinado das duas corridas. Gustavo partiu da 16ª posição e, durante 12 voltas, realizou ultrapassagens importantes para fechar a prova em 11º.

No fim das contas, depois dos testes de pré-temporada e de 24 corridas entre abril e setembro, Gustavo avalia 2013 como um ano de muito crescimento em termos de pilotagem. Seu sentimento, culminando com o resultado obtido neste domingo em Donington Park, lhe enche de esperanças para voltar ainda mais forte em 2014, quando pretende lutar para ser o primeiro brasileiro campeão da Fórmula 4 Inglesa.


Gustavo Lima:

“Nosso desempenho na segunda corrida foi muito bom. Andamos bem o tempo todo, e o resultado foi esse troféu tão almejado, e logo aqui em Donington Park, que é um circuito muito especial. Esse pódio veio para fechar bem um ano de muito trabalho, aprendizado e evolução. Para mim, 2013 foi um ótimo ano, de crescimento. Claro que dava para ter conquistado alguns resultados melhores, mas é desta forma que se aprende. Avalio a categoria de maneira muito positiva porque ela oferece muito aprendizado para nós, que estamos apenas começando. Fico muito feliz por fechar a temporada desta forma, e isso me dá ainda mais motivação para voltar a acelerar em 2014 e brigar por vitórias e pelo título”.

Fotos XPB Images e Jakob Ebrey - Fonte Eversports 

Bruno Bonifácio mira rodada final da Fórmula Renault Alps em Ímola.


A carreira de todo piloto de corrida é composta por altos e baixos. Num mesmo ano, um competidor pode saborear o doce gosto do champanhe após uma bela vitória ou amargar um abandono ou uma jornada ruim. Em fase de aprendizado, Bruno Bonifácio vivenciou os dois extremos desta profissão em questão de meses. Neste fim de semana, em Paul Ricard, na França, o paulista da Prema Powerteam não teve vida fácil na sexta e penúltima etapa da Fórmula Renault 2.0 Eurocup em 2013. Por isso, desde já, seu foco está em dar a volta por cima de imediato, já que, na próxima semana, Bruno estará de volta à pista para concluir uma temporada muito positiva na Fórmula Renault Alps, correndo no tradicional circuito de Ímola, na Itália.

Bruno teve uma jornada bastante complicada em Le Castellet. Na primeira corrida do fim de semana, o brasileiro largou em 11º e conseguiu cumprir uma boa volta inicial, chegando a alcançar o sétimo posto, mas sofreu um toque, rodou e caiu para o fim do pelotão, mais precisamente para a 28ª colocação. Com o carro avariado, a perda de rendimento foi inevitável. Ainda assim, Bonifácio conseguiu fazer o possível e ganhou dez posições. Neste domingo, a situação foi semelhante. Largando em 18º, Bruno partiu rumo a uma corrida de recuperação, mas novamente um toque acabou por comprometer sua prova. Novamente na 28ª colocação, o piloto escalou o pelotão e, depois de 12 voltas, cruzou a linha de chegada em 16º num grid composto por 37 carros.

Mas nada como um dia após o outro. Bonifácio regressa à Itália com o pensamento no término da Fórmula Renault Alps em Ímola, na semana que vem. Na visão do piloto brasileiro, será marcante encerrar um campeonato tão positivo, em que conquistou três vitórias, seis pódios e outras seis poles, numa pista tão importante para o automobilismo italiano e que, de quebra, representou também o palco do seu primeiro teste com um carro da Fórmula 3 Europeia, realizado na semana passada. O brasileiro, atualmente em terceiro na classificação, ainda briga pelo vice-campeonato do certame.

Bruno Bonifácio:

“Não foi um fim de semana fácil, mas aprendi muito aqui em Paul Ricard. Agora é o momento de focar na etapa final da Alps, para fechar o que foi um campeonato muito especial para mim pelas poles, vitórias e pela briga pelo título. A meta é tirar 100% do nosso potencial, porque, sempre que isso acontece, os bons resultados são consequência. No fim das contas, a avaliação que eu faço da temporada é positiva, muito intensa física e mentalmente por competir em dois campeonatos, mas também de muito aprendizado e evolução, e, nesta última etapa, vamos buscar a melhor performance possível”.

Fotos Prema Powerteam - Fonte Eversports 

Em Zandvoort, Augusto Farfus vence pela terceira vez na temporada e garante vice no DTM em 2013.


Augusto Farfus escreveu mais um página em sua curta, mas já brilhante trajetória no DTM, um dos campeonatos de turismo mais importantes do automobilismo mundial. Neste domingo (29), em Zandvoort, na Holanda, o piloto do BMW Team RBM conquistou sua terceira vitória na temporada 2013. Com uma pilotagem soberba do início ao fim, Farfus largou em segundo, ganhou a posição de Marco Wittmann nos metros iniciais e, desde então, só foi superado mesmo durante as janelas para trocas de pneus.

O triunfo dominante, entretanto, não foi suficiente para ajuda-lo a adiar a decisão do título para Hockenheim, em 20 de outubro. Isso porque Mike Rockenfeller cumpriu bem seu papel, terminou em segundo lugar e garantiu a taça de maneira antecipada. O alemão da Audi tirou proveito de sua regularidade e também do fato de ter sido o único dentre todos os pilotos do grid a pontuar nas nove etapas do ano até agora para conquistar o título. Mas Augusto, logo em sua segunda temporada, alcançou um significativo vice-campeonato depois de uma arrancada final após as férias de verão na Europa.

Antes da largada, as equipes de Farfus e Rockenfeller optaram pela mesma estratégia inicial de pneus. O brasileiro e seu adversário largaram com pneus macios, enquanto a maioria do grid abriu a disputa com os compostos mais duros. Augusto largou bem, tracionou melhor que o pole Wittmann, também da BMW, e pulou para a ponta. O jovem alemão ainda tentou segurar o ritmo de Rockenfeller, que vinha logo atrás, mas a pressão do líder do campeonato resultou em uma ultrapassagem ainda no início da prova, assumindo assim a segunda colocação, situação que, naquele momento, lhe dava o título da temporada.


Desde o início da prova, Farfus imprimiu um forte ritmo e conseguiu abrir uma vantagem confortável perante Rockenfeller. Entretanto, o piloto da Audi não era ameaçado pelo pelotão que vinha atrás e estava numa posição bastante cômoda, pois bastava a ele marcar Augusto para faturar o título na Holanda.

Aos poucos, Mike começou a forçar o ritmo e se aproximar de Farfus, reduzindo para 1s uma diferença que era de mais de 3s nas primeiras voltas. Antes de o alemão efetuar a ultrapassagem no momento em que a pressão era altíssima, Augusto foi aos boxes e, na abertura da 13ª volta, calçou seu BMW M3 DTM com pneus duros e abriu seu segundo stint para recuperar a ponta da corrida.

Três voltas depois, foi a vez de Rockenfeller fazer seu primeiro pit stop. O então candidato ao título, entretanto, voltou à pista atrás de Farfus e pouco à frente de Wittmann. Augusto era o terceiro colocado, já que Filipe Albuquerque e Miguel Molina, ambos da Audi, seguiam na pista e não haviam feito suas respectivas paradas.

Farfus recuperou de vez a liderança da corrida em Zandvoort na 20ª volta, mas sempre com Rockenfeller no seu encalço. A vantagem para o germânico, embora um tanto confortável naquele momento (4s5), não era o bastante para adiar a decisão do título para Hockenheim, já que Mike era seguido por Timo Scheider, também da Audi. Perdendo rendimento e de olho no ritmo de Wittmann, que poderia ameaçar o segundo lugar de ‘Rocky’, a Audi Sport Team Phoenix chamou o líder do campeonato para fazer seu segundo pit stop no 21º giro, proporcionando a Augusto abrir ainda mais vantagem e caminhar para sua terceira vitória no ano.

Na 25ª de 44 voltas da corrida, Farfus fez seu pit stop derradeiro em Zandvoort e voltou bem à frente de Rockenfeller. Mas, depois que todos os pilotos fizeram suas últimas paradas, a estratégia da Audi se mostrou mais acertada. Na segunda colocação, atrás apenas do brasileiro, Mike era escoltado por Timo Scheider que, por sua vez, estava à frente de Wittmann, formando uma parede que impedia qualquer aproximação por parte do jovem da BMW MTEK.


A corrida seguia num ritmo bom, mas com as posições no topo praticamente definidas. Augusto tinha uma vantagem frente a Rockenfeller próximo a 20s. Mas a diferença ruiu depois que um toque de Jamie Green em Dirk Werner - que ficou com o carro atolado na brita na curva Arie Luyendyk - obrigou a direção de prova a acionar o safety car, juntando todo mundo quando restavam cinco voltas para o fim da prova.

Com apenas uma volta para o fim da corrida, a bandeira verde voltou a ser acenada em Zandvoort, com o curitibano novamente puxando o pelotão e abrindo vantagem na ponta, seguido por Rockenfeller e Scheider. Tudo o que Mike precisava era manter sua colocação e partir para o título. E foi isso o que aconteceu. De maneira dominante, Farfus faturou mais uma vitória na temporada, enquanto Rockenfeller se sagrou campeão da temporada 2013 do DTM, de forma igualmente merecida. Pela terceira vez no ano, o hino nacional brasileiro foi entoado ao vivo no pódio da categoria, emocionando Augusto, sua família e os fãs do piloto da BMW.


Augusto Farfus:

“Fiz o melhor que pude dentro da pista, a estratégia era ganhar a corrida, e assim aconteceu. Fiz meu trabalho e venci a prova. Infelizmente não foi o suficiente para continuar na briga pelo título até Hockenheim. Mas, de qualquer maneira, foi uma grande vitória. Tenho de ressaltar o brilhante trabalho feito por toda a equipe no fim de semana. Também preciso reconhecer que o Rockenfeller fez uma excelente temporada, tiro o chapéu para ele, mas também estou muito satisfeito com o que fizemos durante o ano”.

Avaliação da temporada

“Conquistar três vitórias numa temporada tão difícil é para se comemorar. Infelizmente perdemos alguns pontos e zeramos três vezes ao longo do ano, e isso nos custou uma melhor posição no campeonato. Mas o sentimento é de dever cumprido. Foi uma temporada fantástica, considerando que é só meu segundo ano no DTM. Agora é partir para Hockenheim, onde quero me divertir e fazer meu melhor, como sempre”.

Confira o resultado da corrida em Zandvoort:

1 - Augusto Farfus (RBM BMW) - 44 voltas
2 - Mike Rockenfeller (Phoenix Audi) - a 1s603
3 - Timo Scheider (Abt Audi) - a 2s149
4 - Mattias Ekstrom (Abt Audi) - a 3s383
5 - Marco Wittmann (MTEK BMW) - a 3s652
6 - Adrien Tambay (Abt Audi) - a 3s834
7 - Joey Hand (RBM BMW) - a 4s444
8 - Filipe Albuquerque (Rosberg Audi) - a 5s060
9 - Gary Paffett (HWA Mercedes) - a 6s795
10 Miguel Molina (Phoenix Audi) - a 7s023
11 Martin Tomczyk (RMG BMW) - a 7s397
12 Pascal Wehrlein (Mucke Mercedes) - a 7s415
13 Jamie Green (Abt Audi) - a 8s068
14 Edoardo Mortara (Rosberg Audi) - a 9s992
15 Christian Vietoris (HWA Mercedes) - a 10s596
16 Robert Wickens (HWA Mercedes) - a 11s117
17 Daniel Juncadella (Mucke Mercedes) - a 11s558
18 Timo Glock (MTEK BMW) - a 12s043
19 Andy Priaulx (RMG BMW) - a 12s890
20 Bruno Spengler (Schnitzer BMW) - a 21s301 

Fotos © BMW AG 

domingo, 29 de setembro de 2013

F3 Euro Series: Felix Rosenqvist conquista mais uma vitória em Zandvoort.


Com a sua segunda vitória no final de semana, o sueco Felix Rosenqvist, (Mücke Motorsport), manteve a luta pelo título da temporada 2013 da F3 Euro Series em aberto. Antes da rodada tripla em Zandvoort, na Holanda, o líder do campeonato Raffaele Marciello, tinha 84,5 pontos de vantagem sobre Rosenqvist, com os resultados deste domingo a diferença foi reduzida para 9,5 pontos, já que na prova deste domingo o italiano da Prema Powerteam, não completou a corrida.

Largando na pole position, Felix Rosenqvist manteve a liderança na largada, ele foi seguido por Jordan King, que já havia ultrapassado seu companheiro de equipe Daniil Kvyat, nos primeiros metros. Alex Lynn também ultrapassou o jovem piloto da Red Bull na primeira volta, sob pressão de Marciello durante as voltas seguintes, Kvyat não dava chances de ultrapassagem, foi quando na volta 15, Marciello tentou a manobra e acabou batendo na proteção de pneus, abandonando a corrida e talvez ai possa ter jogado fora o título que já estava praticamente em suas mãos.


Após o incidente o safety car entrou na pista e no reinício Rosenqvist soube aguentar a pressão para levar o carro até o final. Jordan King chegou em 2°, com seu compatriota Alex Lynn em 3°. Daniil Kvyat foi o quarto, seguido pelo brasileiro Luis Felipe Derani. Completando o top 10 chegaram: Harry Tincknell, Lucas Auer, Tom Blomqvist, Alexander Sims e Mitchell Gilbert. Abaixo comentários dos três primeiros colocados:

Felix Rosenqvist (Mücke Motorsport)

“Eu sabia que eu tinha uma boa chance de ganhar logo na primeira curva. Portanto, concentrei no início e me dei bem. Então, eu tentei controlar meus pneus para manter a minha vantagem sobre Jordan consistente. Isso não era muito fácil, tive que fazer o meu melhor. Claro que, neste fim de semana, em geral, foi ótimo para mim. Marquei 75 pontos e reduzi a diferença na classificação de pilotos”.

Jordan King (Carlin)

“Eu fui capaz de ultrapassar Daniil no início e me aproximar de Felix. Infelizmente, depois disso, eu nunca estava perto o suficiente para iniciar um ataque. Após o reinício, eu não tive a menor chance contra Felix, mesmo reduzindo a diferença. Meu fim de semana foi muito bom. Mudei do oitavo para o sexto lugar na classificação de pilotos”.

Alex Lynn (Prema Powerteam)

“Conquistando o pódio largando do quarto lugar no grid é realmente muito bom, ainda mais porque eu estava dirigindo com pneus usados nesta corrida. Eu não tinha nenhuma chance contra Felix e Jordan, mas fui capaz de ultrapassar Daniil. Com três pódios neste fim de semana, eu realmente não posso reclamar. Agora, temos que trabalhar com a possibilidade de lutar pela pole position no próximo treino classificatório”.

Fotos FIA F3 Euro Series - divulgação

F3 Euro Series: Felix Rosenqvist vence a 2ª prova em Zandvoort.


O sueco Felix Rosenqvist, conquistou neste sábado (28), em Zandvoort uma vitória importante na 23ª rodada do Campeonato Europeu FIA de Fórmula 3. O piloto da Mücke Motorsport atualmente vice-líder do campeonato, teve um sábado perfeito, na prova realizada no período da manhã ele chegou em 2°, porém, herdou os 25 pontos da vitória do piloto convidado Daniil Kvyat. Com a vitória na segunda corrida, ele reduziu a diferença para 34,5 pontos sob o líder Marciello, que terminou a prova apenas em 16º lugar e não marcou pontos.

Alex Lynn, foi o 2º e o russo Daniil Kvyat, da (Carlin), completou o pódio. No início da corrida Rosenqvist não teve dificuldades em manter a posição, já que largou na pole com os pneus novos. No entanto, na briga pelo título seu principal rival Marciello teve uma largada complicada e caiu para o 19º lugar no grid. A 2ª prova do dia novamente teve a intervenção do safety car, na primeira volta os italianos Antonio Giovinazzi (Double R Racing) e Eddie Cheever (Prema Powerteam) colidiram e causou a primeira entrada do carro de segurança, já na sétima volta foi a vez do piloto Lucas Wolf (URD Rennsport), rodar e levar a segunda fase do safety car.


Jordan King (Carlin) repetiu o resultado da primeira corrida do dia quando completou em quarto. O brasileiro Luis Felipe Derani, (Fortec Motorsports), fez uma boa prova e chegou em quinto, na sequência vieram: Harry Tincknell, Sven Müller, Tom Blomqvist, Mitchell Gilbert e Alexander Sims que completou o top 10. Abaixo comentários dos três primeiros colocados em Zandvoort:


Felix Rosenqvist (Mücke Motorsport)

“Meu plano era abrir vantagem na fase inicial, mas, infelizmente, o safety car entrou duas vezes e com isso meus pneus começaram a desgastar. Mas fui capaz de manter uma boa margem sobre o segundo colocado. 50 pontos em duas corridas, acabou sendo muito bom para mim”.

Alex Lynn (Prema Powerteam)

“Minha largada foi boa e fui capaz de ultrapassar Daniil Kvyat. No início, Felix era mais rápido, mas mais tarde, eu tentei coloca-lo sob pressão para ele errar e eu ter chances de ultrapassa-lo, mas ele não cometeu erros”.

Daniil Kvyat (Carlin)

“Eu não tinha pneus novos para essa corrida, o que não facilitou as coisas para mim. No início, eu perdi apenas uma posição, mas pelo menos eu consegui manter a terceira posição. Então, eu tive que fazer o meu melhor, porque só tinha pilotos com pneus novos ao meu redor. Claro, eu sou muito feliz com meu segundo pódio do fim de semana”.

Fotos FIA F3 Euro Series - divulgação

Fórmula 4: Gustavo Lima larga bem, fecha em 7º e abre corrida 2 na primeira fila em Donington Park.


A oitava e última rodada tripla da temporada inaugural da Fórmula 4 Inglesa teve seu início neste sábado (28) no tradicional circuito de Donington Park. Correndo debaixo de um tempo muito bom, os 18 pilotos do grid disputaram a sessão classificatória e também a primeira das três corridas deste fim de semana. Único brasileiro inscrito na etapa derradeira de 2013, Gustavo Lima foi um dos destaques da corrida, ganhou quatro posições só na largada e cruzou a linha de chegada em sétimo. O resultado garantiu ao piloto da HHC Motorsport um lugar na primeira fila da segunda prova, que está marcada para a manhã deste domingo. Outra corrida, a ser disputada no período da tarde, encerra a temporada regular da Fórmula 4.

Depois dos treinos livres de quinta-feira, Lima teve um dia livre para avaliar os acertos do seu carro e dar sequência ao seu fim de semana em Donington Park. Logo na manhã deste sábado, o brasiliense, de 17 anos, foi à pista para disputar a sessão classificatória, com duração de 20 minutos, definindo assim sua posição no grid de largada da primeira corrida da etapa final da Formula 4. Gustavo vinha com bom ritmo, mas uma inesperada bandeira vermelha acabou lhe prejudicando exatamente em sua volta final. Desta forma, restou ao jovem brasileiro largar em 11º.


Embora sua posição de largada não fosse a esperada, Lima mostrou agressividade e provou o quanto evoluiu ao longo de 2013. Talvez inspirado pelo ídolo Ayrton Senna, Gustavo quase repetiu a façanha do tricampeão e conquistou quatro posições na largada, pulando de 11º para sétimo na primeira volta. Um giro depois, o brasileiro subiu mais um degrau na corrida, passando em sexto. E assim foi durante praticamente todas as 12 voltas da peleja. No fim da disputa, o piloto acabou perdendo um pouco de rendimento e foi ultrapassado por James Fletcher, encerrando sua participação nesta tarde em sétimo.

Por conta da regra do grid invertido, Gustavo assegurou um lugar na primeira fila do alinhamento inicial da segunda corrida do fim de semana em Donington Park. O brasileiro vai abrir a prova ao lado do britânico Struan Moore e tem uma grande chance de conquistar seu primeiro pódio na temporada e fechar bem sua segunda temporada correndo nos monopostos.


Lima considerou seu desempenho no sábado bastante positivo. Outro piloto que tem muitos motivos para comemorar é Jake Hughes. Graças à vitória numa primeira etapa bastante disputada em Donington Park, o jovem piloto da Lanan Racing entrou para a história e faturou, com duas rodadas de antecipação, o primeiro título da Fórmula 4 Inglesa.

Gustavo Lima:

“O dia foi bem positivo. A classificação não foi das melhores porque, bem no momento em que eu estava fazendo minha volta rápida, veio uma bandeira vermelha, dava para ter melhorado bastante, mas faz parte. A largada foi muito boa, passei em sétimo na primeira volta e pulei para sexto em seguida. A corrida foi bastante intensa, já que estava no meio dos caras que brigavam pelo título, então todos arriscaram bastante, inclusive eu. O carro estava muito bom e meus tempos eram próximos dos ponteiros, mas ainda sinto que precisamos melhorar algo entre 0s2 e 0s3. Amanhã a previsão do tempo indica sol o dia todo, então vamos ver. Acredito que dá para beliscar um pódio para fechar a temporada com chave de ouro”.

Resultados da 1ª corrida da F4 em Donington Park (Top 10):

1 - Jake Hughes, Lanan Racing - 12 voltas
2 - Matty Graham, Sean Walkinshaw Racing - a 2s154
3 - Seb Morris, Hillspeed - a 4s306
4 - Charlie Robertson, HHC Motorsport - a 5s029
5 - James Greenway, Frank T Greenway Racing - a 8s678
6 - James Fletcher, Team KBS - a 12s833
7 - Gustavo Lima, HHC Motorsport - a 14s025
8 - Struan Moore, Hillspeed - a 16s926
9 - Jake Dalton, Lanan Racing - a 17s922 
10 Raoul Hyman, HHC Motorsport - a 19s430

Fotos XBP Images - Fonte Eversports

World Series: Pietro Fantin conquista 10 posições e completa prova em Paul Ricard em 12º.


Depois do bom desempenho nos dois treinos livres realizados na sexta-feira, o segundo dia de atividades no autódromo de Paul Ricard foi exigente para Pietro Fantin. Válida pela oitava e penúltima etapa da temporada da Fórmula Renault 3.5, a classificação e a primeira das duas corridas da rodada aconteceram neste sábado (28). O brasileiro enfrentou dificuldades com o tráfego na tomada de tempos, mas fez uma bela prova de recuperação e encerrou o dia de forma positiva no circuito francês, sendo o piloto que mais ganhou posições em Le Castellet nesta tarde.

A tomada de tempos foi disputada logo pela manhã (horário local), e viu o dinamarquês Kevin Magnussen, que havia liderado também os treinos no dia anterior, conquistar a pole position. Fantin vinha em uma boa volta, baixando seus tempos e com chances de garantir uma posição entre os 10 primeiros, mas pegou tráfego e foi atrapalhado no último setor de sua volta decisiva. Com isso, teve de largar apenas da 22ª posição.


Confiante no forte rendimento do carro da equipe Arden Caterham, o curitibano completou a primeira volta já em 18º, mostrando potencial para avançar ainda mais. Aproveitando as oportunidades de ultrapassagem, Pietro recuperou terreno e na 11ª volta ocupava o 12º lugar, e a cada giro diminuía a vantagem para os adversários à sua frente, que era de quase seis segundos. Na antepenúltima volta, Fantin ainda tentou a ultrapassagem buscando o top-10, mas completou as 25 voltas em 12º, sendo o terceiro melhor entre os estreantes da categoria, atrás de Stoffel Vandoorne (3º) e William Buller (9º). A vitória ficou com Magnussen, que também é líder do campeonato.

Neste domingo, estão marcadas mais uma sessão classificatória e a corrida final da etapa. A previsão do tempo aponta 80% de chances de chuva, o que não preocupa Fantin, já que durante a pré-temporada o piloto cumpriu dois dias de testes em Paul Ricard com pista molhada e acredita que terá um carro competitivo.


Pietro Fantin:

“Não tivemos a classificação que esperávamos, por algo que fugiu do nosso controle. Sabia que tínhamos um carro rápido e isso se confirmou na corrida, consegui aproveitar as oportunidades de ultrapassagem e ganhei várias posições. No fim, foi um resultado positivo, especialmente por ter subido mais uma vez no rookie podium. Para amanhã (domingo) a previsão é de chuva, mas temos tido um carro competitivo nessas condições e acredito que poderemos buscar um resultado melhor”.

Resultado da 1ª corrida em Paul Ricard (15 primeiros):

1 - Kevin Magnussen - Dams - 25 voltas
2 - Antonio Felix Da Costa - Arden Caterham - 3s864
3 - Stoffel Vandoorne - Fortec - 5s796
4 - André Negrão - Draco - 8s434
5 - Marco Sorensen - Lotus Charouz - 9s817
6 - Will Stevens - P1 by Strakka - 11s635
7 - Arthur Pic - AV Formula - 28s044
8 - Nikolay Martsenko - Pons - 29s183
9 - William Buller - Zeta - 32s652
10 Daniil Move - Comtec - 33s242
11 Nico Muller - Draco - 33s668
12 Pietro Fantin - Arden Caterham - 35s445
13 Zoel Amberg - Pons - 35s908
14 Oliver Webb - Fortec - 48s245 
15 Jazeman Jaafar - Carlin - 56s204  

Fotos Dutch Photo Agency e Paolo Pellegrini - Fonte Eversports 

DTM: Augusto Farfus larga na primeira fila em etapa decisiva no circuito de Zandvoort.


Em dia da BMW, Augusto Farfus completou a dobradinha da montadora bávara na sessão classificatória da nona etapa do DTM, em Zandvoort, e conquistou a segunda colocação no grid de largada no circuito holandês, neste sábado (28). O brasileiro do Team RBM foi um dos destaques ao longo do dia e sempre esteve entre os mais rápidos. Pela sétima vez em nove corridas, Augusto se classificou entre os quatro primeiros, provando o quanto é forte em ritmo de classificação.

No Q4, o postulante ao título da temporada cravou 1:30s979 e, por menos de 0s1, não conseguiu superar o jovem Marco Wittmann, também da BWM, que vai largar na pole position pela primeira vez na categoria. Grande adversário de Farfus na briga pela taça, Mike Rockenfeller esteve o tempo todo próximo ao brasileiro, e assim será no grid de largada neste domingo. O alemão do Audi Sport Team Phoenix parte da terceira posição em Zandvoort.

Extremamente motivado e disposto a ir ao limite para levar a decisão do título para a última etapa da temporada, em 20 de outubro no circuito de Hockenheim, Farfus começou o sábado acelerando bem mais que Rockenfeller. Pela manhã, o brasileiro liderou a única sessão de treinos livres, com duração de 90 minutos, e despontou como grande favorito à conquista da pole position, no período da tarde.


Desde o começo da classificação, a atração era o duelo entre Rockenfeller e Farfus. Lado a lado, a transmissão oficial do DTM mostrava o tempo dos dois, que foram à pista quase ao mesmo momento no início do Q1. E nesta fase, o brasileiro levou a melhor sobre o piloto da Audi e cravou a melhor volta do segmento que abriu a definição do grid de largada, indicando que o BMW M3 DTM tinha certa superioridade sobre seu oponente. Com 1:31s467, Augusto colocou o carro #7 na frente, enquanto 'Rocky' foi o quarto colocado.

Logo na abertura do Q2, Augusto mostrou o quanto estava forte em Zandvoort. Com 1:30s951, o brasileiro ocupou a liderança durante praticamente todo o segundo segmento da classificação, cavando assim seu lugar no Q3. Mas o rival Rockenfeller não teve a mesma tranquilidade. O líder do campeonato chegou a estar fora da zona de classificação para a terceira fase da sessão, mas, nos minutos finais, conseguiu uma volta salvadora e assegurou a quinta melhor marca, garantindo sua permanência na luta pela pole.

Mas já no fim do Q2, a Audi deu uma prova de que estava igualmente forte na Holanda. Isso porque Edoardo Mortara, que venceu a corrida no ano passado, cravou ótima volta e conseguiu assumir a ponta com o tempo de 1:30s919. Augusto também foi superado por Wittmann e fechou a segunda parte da classificação em terceiro. Rockenfeller acabou ficando em oitavo.

Logo que o começo do Q3 foi autorizado, os pilotos foram em busca dos melhores tempos e da consequente passagem para a fase final da classificação. Farfus, porém, deu apenas uma volta, mas não registrou marca, retornando para os boxes em seguida para que o Team RBM fizesse alguns ajustes no acerto do seu carro. Quando o brasileiro foi à pista novamente, restavam pouco mais de três minutos para o encerramento da terceira fase da sessão. Comprovando a ótima forma no circuito holandês, Augusto anotou 1:31s123, assumiu a primeira posição e garantiu sua ida ao Q4 pela sétima vez em nove corridas em 2013.


Obedecendo a ordem inversa aos classificados para a fase final da classificação, Rockenfeller foi o primeiro piloto a ir à pista no Q4. O candidato ao título anotou 1min31s325, um tempo longe do ideal para quem estava em busca da pole. Em seguida, foi a vez de Wittmann acelerar sua BMW M3 DTM em Zandvoort. O jovem da montadora bávara registrou um belíssimo tempo: 1:30s894, assumindo a pole provisória. Restavam ainda as voltas de Timo Scheider e Farfus para o encerramento da classificação. Contudo, o veterano da Audi marcou volta ainda pior que a de Rockenfeller.

Faltava apenas Augusto que, levando em conta o bom desempenho ao longo deste sábado, pintava como grande favorito à pole. O brasileiro conseguiu fazer uma bela volta, cravou 1:30s979, mas, por muito pouco, não conseguiu superar a grande marca de Wittmann, que vai largar na posição de honra do grid do DTM pela primeira vez na carreira. Farfus fecha a primeira fila e partirá numa boa colocação para a nona e penúltima etapa da temporada, onde tentará de tudo para levar a decisão para Hockenheim. A corrida em Zandvoort está marcada para domingo, às 20:30 (horário do Japão). No Brasil terá transmissão ao vivo do canal por assinatura BandSports.

Augusto Farfus:

"Foi uma boa tomada de tempos. O objetivo era, antes de tudo, classificar à frente do Mike. A gente fez um carro super competitivo durante toda a classificação, então amanhã é torcer para termos uma boa largada e um ritmo de corrida forte para tentarmos chegar na frente dele e ver o que o resultado nos vai trazer. A estratégia certamente será fundamental. A Audi também vem muito forte, mas temos tudo para fazer um grande trabalho. Então o objetivo nosso é fazer uma boa largada e colocar o máximo de pressão nele."

Confira o grid de largada em Zandvoort:

1 - Marco Wittmann - MTEK BMW - 1:30s894
2 - Augusto Farfus - RBM BMW - 1:30s979
3 - Mike Rockenfeller - Phoenix Audi - 1:31s325
4 - Timo Scheider - Abt Audi - 1:32s524

5 - Joey Hand - RBM BMW - 1:31s439 - Q3
6 - Filipe Albuquerque - Rosberg Audi - 1:31s443 - Q3
7 - Edoardo Mortara - Rosberg Audi - 1:31s460 - Q3
8 - Timo Glock - MTEK BMW - 1:31s614 - Q3
9 - Adrien Tambay - Abt Audi - 1:31s621 - Q3
10 Miguel Molina - Phoenix Audi - 1:32s106 - Q3

11 Mattias Ekstrom - Abt Audi - 1:31s382 - Q2
12 Gary Paffett - HWA Mercedes - 1:31s414 - Q2
13 Dirk Werner - Schnitzer BMW - 1:31s442 - Q2
14 Pascal Wehrlein - Mucke Mercedes - 1:31s445 - Q2
15 Andy Priaulx - RMG BMW - 1:31s539 - Q2

16 Christian Vietoris - HWA Mercedes - 1:32s055 - Q1
17 Jamie Green - Abt Audi - 1:32s067 - Q1
18 Bruno Spengler - Schnitzer BMW - 1:31s546 - Q2 *
19 Martin Tomczyk - RMG BMW - 1:32s088 - Q1
20 Daniel Juncadella - Mucke Mercedes - 1:32s145 - Q1
21 Robert Wickens - HWA Mercedes - 1:32s241 - Q1
22 Roberto Merhi - HWA Mercedes - 1:32s357 - Q1

* Punido com a perda de duas posições no grid de largada

sábado, 28 de setembro de 2013

Fórmula E define o calendário provisório de estreia.


Foi anunciado pelo Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), nesta sexta-feira (27), o calendário da temporada 2014/2015 da Fórmula E, categoria de monopostos totalmente elétricos. A nova categoria contará com 10 etapas, com estreia prevista para o 20 de setembro de 2014 em Pequim, na China e a final acontecerá no dia 27 de junho de 2015 em Londres, Inglaterra.

A Fórmula E disputará as provas inicialmente apenas em circuitos de rua, como parte da estratégia de divulgação da categoria. O Brasil infelizmente ficará de fora deste primeiro campeonato, a cidade do Rio de Janeiro era cotada para fazer parte do novo projeto da FIA, mas acabou perdendo o lugar para Punta del Este, no Uruguai.

Confira o calendário provisório:

Pequim, China 20/09/2014
Putrajaya, Malásia 18/10/2014
Hong Kong 08/11/2014
Punta del Este, Uruguai 13/12/2014
Buenos Aires, Argentina 10/01/2015
Los Angeles, EUA 14/02/2015
Miami, EUA 18/04/2015
Monte Carlo, Mônaco 09/05/2015
Berlim, Alemanha 30/05/2015 
Londres, Inglaterra 27/06/2015

F3 Euro Series: Daniil Kvyat celebra a primeira vitória em Zandvoort.


O russo Daniil Kvyat, da equipe Carlin, conquistou neste sábado (28), sua primeira vitória no campeonato FIA Fórmula 3 Euro Series, o triunfo aconteceu na primeira corrida da etapa tripla disputada no circuito de Zandvoort. Piloto da academia da Red Bull, Kvyat largou na pole e conseguiu superar a pressão de seus adversários em toda a corrida. Felix Rosenqvist e Alex Lynn completaram o pódio. O líder do campeonato Raffaele Marciello teve que se contentar apenas com o 5° lugar, mesmo assim, o italiano segue tranquilo 59,5 pontos à frente do rival Felix Rosenqvist.

A batalha foi decidida na fase inicial, pois partindo da pole position, Daniil Kvyat assumiu a liderança e também defendeu a sua posição nas duas reinicializações que foram necessárias depois de tantas intervenções do safety car. Lucas Wolf, causou a primeira neutralização, já tendo estacionado seu carro na volta de apresentação. Na sétima volta, Felix Serralles, (Fortec Motorsport), se chocou contra as barreiras de pneus, que trouxe o safety car pela segunda vez.


Enquanto Kvyat liderava sem problemas, Felix Rosenqvist e Alex Lynn foram pegos de surpresa após a primeira reinicialização. O sueco superou o britânico e levou o segundo lugar com segurança para casa. Como vencedor da corrida, Kvyat não marcou nenhum ponto, porque ele é um piloto convidado, sendo assim, Rosenqvist herdou os 25 pontos da vitória.

Jordan King, chegou em quarto lugar, seguido pelo italiano Raffaele Marciello, líder na classificação de pontos. Harry Tincknell, Lucas Auer, Nicholas Latifi, Tom Blomqvist e Sven Müller, completaram o top 10. O brasileiro Luis Felipe Derani, mais conhecido como 'Pipo Derani', terminou a primeira corrida em décimo nono. Abaixo comentários dos três primeiros colocados em Zandvoort:


Daniil Kvyat (Carlin)

“Depois de começar da pole position pela quinta vez, eu finalmente consegui a minha primeira vitória na Fórmula 3. Estou muito feliz com isso. Tenho trabalhado para melhorar as minhas largadas por um bom tempo e desta vez eu consegui ficar na frente e abrir vantagem. Eu só tinha que ter cuidado nas duas relargadas, pois a longa reta oferece muitas oportunidades para atacar”.

Felix Rosenqvist (Mücke Motorsport)

“Comecei a corrida com quatro pneus usados e, portanto, não esperava igualar o ritmo de Daniil. Na primeira relargada, eu tive uma boa saída da última curva e eu tentei atacar Alex. Felizmente, tudo deu certo, o que me deu a oportunidade de marcar mais pontos e reduzir a diferença para Raffaele na classificação de pilotos. Para as duas corridas restantes, esta tarde e amanhã, estou otimista. Eu tenho pneus novos e vou partir da pole position”.

Alex Lynn (Prema Powerteam)

“Meu início não foi o melhor, porque não havia praticamente nenhuma aderência na pista, devido as baixas temperaturas. No primeiro reinício, Felix conseguiu me ultrapassar, o que, evidentemente, foi uma pena do meu ponto de vista. Mas o terceiro lugar e os pontos do segundo também são bons para a batalha com Lucas Auer pelo terceiro lugar na classificação de pilotos”.

Fotos FIA F3 Euro Series - divulgação

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Fórmula 1 2014: Calendário Oficial


A reunião do Conselho Esportivo da FIA, definiu nesta sexta-feira o novo calendário para a temporada 2014 da Fórmula 1, serão 22 etapas, iniciando em 16 março com o GP da Austrália e terminando com o GP do Brasil, em Interlagos - São Paulo, no dia 30 de novembro. A próxima temporada terá um número recorde de provas, diferente do que foi divulgado no início da semana, a FIA alterou algumas datas, mas manteve as novas duas sedes: Rússia e Nova Jersey, além disso, voltam ao calendário países como: Áustria e México.

As principais mudanças em relação à primeira versão do calendário foram as trocas de datas entre alguns GPs. Bahrein e Coreia do Sul (este, dependendo ainda de uma confirmação) alternaram seus eventos, com a prova de Sakhir programada agora para o dia 6 de abril, deixando o dia 27 para Yeongam. A alteração mexeu com a data do GP da China, que acontecerá entre estas duas etapas. A prova de Shanghai foi postergada em uma semana, passando do dia 13 para o dia 20 de abril.

Estreante no calendário, a etapa russa de Sochi pegou a data originalmente destinada ao GP do Japão (5 de outubro). A prova de Suzuka será realizada uma semana depois, no dia 12 de outubro. Voltando à Fórmula 1 depois de mais de 30 anos, o México inverteu a data com a prova de Austin, nos Estados Unidos, e caso obtenha a homologação do circuito Hermanos Rodriguez, será realizada no dia 16 de novembro, como a penúltima prova do ano.

Quem também depende de homologação da Federação Internacional de Automobilismo é a pista montada às margens do Rio Hudson, em Nova Jersey. A segunda corrida dos Estados Unidos está marcada para o dia 1º de junho. Em 2014, com as novas regras da categoria, o famoso “degrau no bico” será abolido, os motores deixam de ser os V8 2.4L e passam a ser V6 1.6L turbo, o KERS será substituído pelo ERS - uma versão mais potente do sistema de recuperação de energia cinética, passando dos atuais 60kw para 120 kw.

Além das estreias de Sochi e Nova Jersey e do retorno da Cidade do México, outro destaque é a volta da pista austríaca de Spielberg. O circuito pertence atualmente ao mesmo grupo que controla a RBR, e não tinha uma prova de Fórmula 1 desde 2003, o circuito Red Bull Ring ficou marcado em 2002, pelo “incidente” da equipe Ferrari em ordenar o piloto brasileiro Rubens Barrichello a ceder a vitória quase na linha de chegada para o companheiro Michael Schumacher.

Confira o calendário da F1 2014:

Austrália (Melbourne) - 16 de março
Malásia (Sepang) - 23 de março
Bahrain (Sakhir) - 6 de abril
China (Shanghai) - 20 de abril
Coreia (Yeongam) - 27 de abril *
Espanha (Barcelona) - 11 de maio
Mônaco (Mônaco) - 25 de maio
EUA (Nova Jersey) - 1 de junho *
Canadá (Montreal) - 8 de junho
Áustria (Spielberg) - 22 de junho
Inglaterra (Silverstone) - 6 de julho
Alemanha (Hockenheim) - 20 de julho
Hungria (Budapest) - 27 de julho
Bélgica (Spa-Francorchamps) - 24 de agosto
Itália (Monza) - 7 de setembro
Cingapura (Marina Bay) - 21 de setembro
Rússia (Sochi) - 5 de outubro
Japão (Suzuka) - 12 de outubro
Abu Dhabi (Yas Marina) - 26 de outubro
EUA (Austin) - 9 de novembro
México (Cidade do México) - 16 de novembro *
Brasil (Interlagos) - 30 de novembro

* (Pistas sujeitas a confirmação de contrato com a FIA)

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Gustavo Lima fecha temporada de estreia na Fórmula 4 no tradicional circuito de Donington Park.


A mais nova categoria de base do automobilismo mundial encerra sua primeira temporada regular neste fim de semana (28 e 29). Depois de 21 corridas, a Fórmula 4 Inglesa, que abriu novos horizontes para grandes talentos do esporte a motor, realiza no lendário circuito de Donington Park a última etapa de um campeonato extremamente disputado e bem-sucedido. Para Gustavo Lima, 2013 foi um ano de muito aprendizado e evolução contínua. Em sua segunda temporada completa nos monopostos, o brasiliense de 17 anos cresceu em cada etapa e consolidou sua performance com a conquista do seu melhor resultado, obtido em Snetterton, há duas semanas. Agora, a expectativa do piloto da HHC Motorsport é fechar o ano com chave de ouro antes de voltar às pistas em 2014.

A oitava e última rodada tripla da Fórmula 4 em 2013 acontecerá no único circuito que ainda não recebeu uma corrida da categoria. Contudo, a pista britânica não é desconhecida dos pilotos do grid. Isso porque, na pré-temporada, os competidores tiveram a oportunidade de cumprir uma sessão de testes. Gustavo não esconde seu apreço por Donington Park e acredita que o fim de semana será de disputas empolgantes na pista, como tem sido toda a temporada da Fórmula 4. Para a derradeira etapa do calendário, a organização do campeonato optou pelo traçado tradicional, o chamado Grand Prix Circuit, com 4.023 metros de extensão e 12 curvas.


Outro fator que inspira bastante Lima para correr em Donington Park é o fato de o circuito ter sido o palco da épica primeira volta de Ayrton Senna no Grande Prêmio da Europa de Fórmula 1 em 1993. O tricampeão mundial ultrapassou nada menos do que quatro pilotos (Karl Wendlinger, Michael Schumacher, Damon Hill e Alain Prost) pouco depois da largada e rumou para uma vitória histórica debaixo de uma chuva torrencial. Duas décadas depois, o jovem brasiliense entende que acelerar numa pista tão especial vai lhe motivar ainda mais para empreender uma luta por um lugar no pódio no desfecho da temporada. Depois de uma campanha bastante promissora em Snetterton, onde chegou a brigar pela liderança na segunda corrida da rodada tripla, Gustavo se mostra confiante em alcançar seu objetivo neste fim de semana.

No fim das contas, a avaliação que o brasileiro faz de sua primeira temporada na Fórmula 4 Inglesa é positiva. Não apenas pela sua evolução e aprendizado dentro das pistas, mas também pelo seu crescimento como pessoa. Lima atribuiu boa parte deste avanço ao trabalho efetuado pelos seus coaches ao longo da temporada - os também pilotos Rafael Suzuki e Luiz Razia. Depois de um intenso trabalho de desenvolvimento, a expectativa de Gustavo é voltar bem mais forte e brigar pelo título da competição desde a primeira etapa na temporada de 2014.


A rodada tripla derradeira de 2013 em Donington Park compreende a realização de treinos livres, que desta vez acontecerão na quinta-feira. No sábado, a programação prevê a disputa da única sessão classificatória do fim de semana, com duração de 20 minutos, pela manhã, e a largada da corrida 1, no período da tarde. O resultado desta prova determina o grid de largada da corrida 2, marcada domingo pela manhã. Enquanto isso, a última peleja, que terá seu alinhamento inicial definido pela melhor volta de cada piloto no combinado das duas corridas anteriores, ocorre no começo da tarde, fechando a primeira temporada regular da mais nova categoria de base do automobilismo mundial, que definirá neste fim de semana o primeiro campeão de sua história. Como prova do equilíbrio da temporada, nada menos do que seis pilotos chegarão com chances de faturar a taça: Jake Hughes (atual líder do campeonato), Jack Barlow, Seb Morris, Matthew Graham, Charlie Robertson e Jake Dalton.

Gustavo Lima:

“Chego ao fim da temporada satisfeito porque foi um ano de muita evolução, tanto como pessoa quanto como piloto. Tive a ajuda do Rafael Suzuki e do Luiz Razia, e isso contribuiu muito para que esse desenvolvimento ocorresse ao longo do ano. Conheço a pista de Donington, já que treinei lá na pré-temporada. Trata-se de um circuito bem extenso, com ótimos pontos de ultrapassagem, então creio que teremos grandes corridas, com belas disputas. Essa etapa terá um gostinho especial porque Donington Park foi o palco de uma das mais belas corridas do Senna. A motivação é total, estamos cada vez mais disputando as primeiras posições. Em Snetterton, cheguei até a brigar pela liderança, então vamos com tudo para fechar o ano com chave de ouro”.

Fotos Jakob Ebrey - Fonte Eversports

Bruno Bonifácio retorna a Paul Ricard e corre 6ª etapa da temporada da Fórmula Renault Eurocup.


Bruno Bonifácio regressa às pistas neste fim de semana (27, 28 e 29) para a disputa da sexta e penúltima etapa da Fórmula Renault 2.0 Eurocup, no tradicional circuito de Paul Ricard, em Le Castellet, na França. O paulista da Prema Powerteam corre no tradicional autódromo gaulês depois de ter participado, no começo do ano, de sessões de testes durante a pré-temporada. Empolgado com o traçado, considerado bastante técnico, Bruno acredita que tem condições de tirar o máximo de potencial do seu carro e buscar um bom resultado na rodada dupla que se avizinha.

Há duas semanas, o brasileiro disputou a etapa de Hungaroring, também válida pela Fórmula Renault Eurocup. No circuito húngaro, Bruno conquistou um top-10 na primeira das duas corridas em Budapeste, marcada por uma chuva torrencial. Dias depois, o piloto de 18 anos participou de uma bateria de testes com o carro de Fórmula 3 Europeia pela equipe Prema Powerteam no circuito de Ímola, na Itália.


O trabalho realizado em conjunto com sua equipe deixa Bonifácio ainda mais motivado para as etapas finais da temporada da Fórmula Renault. Além de Paul Ricard, o paulista correrá no próximo fim de semana em Ímola, encerrando sua participação na divisão Alps, e, 15 dias depois, disputará a rodada dupla de Barcelona, fechando o campeonato da Eurocup.

Depois de uma etapa de aprendizado na Hungria, a expectativa de Bruno para Le Castellet é bastante positiva. Apreciador da veloz pista, que conta com duas grandes retas e terá extensão de 5.842 metros neste fim de semana, o piloto destacou a evolução obtida ao longo da temporada e se mostrou confiante em poder cumprir um bom trabalho em Paul Ricard, levando em conta a experiência adquirida durante este tempo.


A Fórmula Renault Eurocup abre a programação da World Series by Renault em Paul Ricard no início na sexta-feira. Neste dia, serão realizados dois treinos coletivos, com duração de 40 minutos cada. Já no fim da tarde, os pilotos voltam à pista e, divididos em dois grupos, disputam a sessão classificatória da corrida 1. No sábado, os jovens competidores alinham no grid da primeira prova, que terá 25 minutos mais uma volta. E no domingo, o cronograma compreende mais um treino classificatório e a derradeira corrida, encerrando a penúltima etapa de 2013.

Bruno Bonifácio:

“Estou me sentindo muito confiante para mais uma etapa da Eurocup. Paul Ricard é um circuito bastante técnico. A gente foi testar lá com a Renault no começo do ano, e depois, entre o teste e a etapa deste fim de semana, nós avançamos bastante nas questões técnicas do carro, então temos de esperar e ver qual será a performance na pista, mas estamos todos bem otimistas. O teste que fizemos com o carro da Fórmula 3 Europeia me deixa ainda mais motivado para fazer um bom trabalho neste fim de semana. Venho de uma etapa de muito aprendizado na Hungria, e agora, na França, é buscar extrair o máximo do nosso potencial que, com certeza, é muito bom”.

Fotos Prema Powerteam

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

World Series: Pietro Fantin disputa 8ª etapa da temporada em Paul Ricard de olho em volta ao top-10.


A oitava e penúltima etapa da temporada 2013 da Fórmula Renault 3.5, a principal categoria da World Series by Renault, acontece neste fim de semana (28 e 29) no tradicional circuito de Paul Ricard, em Le Castellet, na França. A rodada dupla realizada no traçado gaulês é vista por Pietro Fantin como ideal para voltar ao grupo dos pontuadores do campeonato. Depois de uma etapa marcada pelo mau tempo em Hungaroring, há duas semanas, o curitibano confia em poder retornar ao top-10 e aposta no potencial do carro da Arden Caterham para exibir boa performance neste fim de sua temporada de estreia no certame.

Debutante na World Series, o curitibano de 21 anos vai encarar um circuito conhecido. Em 2011, no seu primeiro ano completo na Fórmula 3 Inglesa, Pietro disputou uma rodada tripla em Paul Ricard, enquanto na pré-temporada da World Series, neste ano, ele cumpriu mais dois dias intensos de testes. E para aprimorar ainda mais sua performance no traçado, o piloto trabalhou com afinco no simulador da Arden Caterham, na Inglaterra. Além da preparação visando o fim de semana, Fantin conta com outro importante aliado para se ambientar ainda mais à pista: seu companheiro de equipe, Antonio Felix da Costa, obteve uma vitória na rodada dupla em Le Castellet no ano passado e servirá como principal referência do brasileiro neste fim de semana.


Por todos esses fatores, a expectativa de Pietro para Paul Ricard é bastante positiva. Entretanto, o fator climático poderá mais uma vez ser determinante nesta etapa. Isso porque a previsão do tempo aponta considerável chance de chuva para o fim de semana. No sábado, a meteorologia aponta 10% de possibilidade de corrida com a pista molhada, enquanto para domingo esta porcentagem aumenta para 40%. Fantin, no entanto, torce por pista seca para os dias de atividade no circuito francês, que, para a World Series, terá extensão de 5.842 metros.

Seguindo o cronograma padrão da categoria, a programação da oitava etapa da Fórmula Renault 3.5 tem início nesta sexta-feira com a disputa de dois testes coletivos, com duração de uma hora cada. No sábado, os 26 pilotos voltam à pista para o treino classificatório que define o grid de largada da primeira corrida do fim de semana em Paul Ricard, que terá duração de 44 minutos e mais uma volta. Para domingo, serão realizados mais um treino classificatório e a derradeira prova em Le Castellet, desta vez com um pit stop obrigatório entre as voltas 5 e 16.


Pietro Fantin:

“Paul Ricard vai ser um pouco diferente da Hungria pelo fato de eu já conhecer um pouco mais a pista. Nos testes feitos lá, a Arden Caterham mostrou bom potencial e um carro muito bem acertado. O Antonio é sempre bem rápido lá, conhece bem a pista, e isso me dá a certeza de que temos condições de andar forte na França. É um circuito de alta aderência e muito técnico. Estou trabalhando bastante para ter um fim de temporada bastante positivo com essas duas últimas etapas em 2013. Desde já, a torcida é para que tenhamos um clima mais estável, que seja diferente da Hungria, onde esse fator nos atrapalhou um pouco. A minha expectativa para este fim de semana é voltar aos pontos nas duas corridas, e talvez até algo além disso”.

Fotos: Dutch Photo Agency e Paolo Pellegrini - Fonte Eversports